quinta-feira, 18 de junho de 2009

Escova Orgânica sem Formol.

Apesar das medidas tomadas pela Vigilância Sanitária, algumas mulheres parecem não acreditar nos riscos, que o FORMOL pode causar à saúde.
O que é o formol e por que escovas progressivas com ele são condenadas?
É uma substância utilizada, principalmente, para a conservação de outras substâncias e até de tecidos (é usado em biópsias, por exemplo, para impedir a degradação antes da análise). Pode ser facilmente absorvido pelas mucosas e ocasionar problemas sérios para a saúde, tanto da cliente quanto do cabeleireiro. A dermatologista Denise Steiner, diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Câmara Técnica de Cosméticos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), não recomenda nem aprova fórmulas à base de formol. "Se for usada uma concentração alta de formol em produtos para o cabelo, os fios podem se tornar ainda mais quebradiços. Ele danifica a cutícula, que é a parte mais externa do fio e deixa o córtex, a parte interna, bastante vulnerável ao ressecamento e ao desbotamento", explica a especialista.
E qual seria a opção para substituí-lo?
Escova orgânica a base de frutas da Amazônia: Manteiga de Cupuaçu, Manteiga de Murumuru, óleo de Castanha do Brasil e Açaí. Ativos altamente emolientes e hidratantes que protegem a fibra capilar, mantendo os fios saudáveis e brilhantes.
Sua formulação é composta de Queratina Vetorizada, que adere a cutícula mesmo após
a lavagem facilitando a penetração dos ativos nas partes mais profundas do cabelo, e Tioglicolato de Amônio.
O que é Escova Orgânica?
A escova orgânica sem o formol, também chamada de defrisagem ou recondicionamento térmico com base orgânica, reduz o volume dos cabelos ou pode deixá-los mais lisos. O resultado vai depender do tempo durante o qual o produto é deixado nos fios. É mais um procedimento químico? Sim, pelo menos é para ser. Entretanto, podem-se utilizar produtos de tratamento com base orgânica sem nenhum tipo de química. Neste caso, são produtos compatíveis com qualquer outro procedimento anteriormente feito nos cabelos. Por não terem uma força enérgica, isto é, alguns ativos químicos, não devem prometer o alisamento e, sim, somente tratamento e disciplina dos fios, obtendo-se, também, o controle do volume dos cabelos. Quando falamos em escova orgânica com algum tipo de princípio ativo, geralmente é utilizado o tioglicolato de amônio e, ainda, na composição do produto, são acrescentados ativos naturais extraídos do açaí e da castanha do Brasil, hidratantes que protegem a fibra capilar, mantendo os fios saudáveis e fornecendo uma maior segurança durante a aplicação do produto. Eles têm o poder de tratar os fios e amenizar os efeitos ou danos causados aos fios pela química. Essa composição é que diferencia a escova orgânica dos outros alisamentos ou relaxamentos.
Portanto, fica um alerta: mais importante do que o nome do procedimento a ser feito é a sua ciência do que e como será feito este procedimento nos cabelos, bem como o tipo de produto a ser utilizado e a sua composição.
O que é e como age o Tioglicolato de Amônio?
O tioglicolato é um princípio ativo que serve para amolecer a fibra capilar, promover a quebra das pontes de cistina e, com isso, deixar o fio maleável, para ser moldado como se desejar. Se pentear ou escovar, ele alisa. Se enrolar, ele forma cachos.
E quanto aos retoques?
A escova orgânica com tioglicolato de amônio e frutas da Amazônia deixa o fio liso logo na primeira sessão, mas por ter concentrações menores desses ativos do que as fórmulas dos alisamentos tradicionais costumam durar menos tempo: de dois a seis meses, dependendo do grau de ondulação do cabelo.
Quais cuidados devem ser tomados com os fios de um cliente que vem de outro salão?
O maior cuidado é descobrir se o ativo usado anteriormente será compatível. Ou seja, se a fórmula de antes era à base de tioglicolato de amônio, não se deve usar, agora, um ativo à base de hidróxido de sódio ou de cálcio. A base química precisa ser a mesma. Além disso, produtos de alisamento à base de metal ou de vegetais como o henê são incompatíveis com qualquer outra fórmula.
Em que situações os fios podem cair ou se partir durante um tratamento como este?
Tratamentos ou transformações no cabelo não são responsáveis pela queda dos fios, que acontece por questões internas: perda natural pela idade, problemas hormonais ou até mesmo porque o fio terminou seu ciclo de vida.
Mas a química pode, sim, fazer com que se partam, quando feita de maneira inadequada. Por exemplo, quando a ação do produto alisante for forte demais para o tipo de cabelo. Um teste prévio em uma pequena mecha da nuca ajuda a decidir entre as fórmulas suave, normal ou forte. Outro motivo freqüente para fios partidos é a forma de aplicação. O cabelo deve ser penteado e enluvado seguindo o sentido de seu crescimento, para frente ou para o lado, não para trás. Ainda pode ser motivo de o problema deixar o produto por mais tempo do que o indicado e não fazer uma neutralização correta.
Que produtos devem ser usados para lavar e tratar o cabelo após esse processo?
Após uma transformação química, os fios precisam de produtos que reponham os nutrientes perdidos no processo, como, por exemplo, queratinas, ceramidas, aminoácidos e proteínas. Portanto para prolongar os efeitos hidratantes, deve-se fazer uso de shampoo com pH ácido em torno de 4,5 a 5,5 e condicionador entre 2,5 a 4,5. Óleos vegetais e silicones também são de grande ajuda, pois fecham a cutícula, devolvendo o brilho e a maciez ao cabelo. Temos no mercado várias linhas, como por exemplo, o de Vanilla, o Help entre outras.
Resumindo: os cabelos chapados e lisos continuarão na moda, por mais que se tente fazer voltar os cachos, as brasileiras vão continuar a fazer as escovas progressivas, orgânicas e ou os modernos métodos de alisamentos que deixam os cabelos naturais hidratados e brilhantes.
Matéria publicada em 12 de fevereiro de 2009, no caderno Arrazo página 22, edição: 37883
http://www.bancadigital.com.br/jpiracicaba/reader2/Edição 37883

10 comentários:

  1. oi amei seu espaço to seguindo, quando puder vista o meu e dê sua opinião, ficarei muito feliz!bjinhos!
    http://dicasfeminina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já entrei no teu Blog algumas vezes e curti muito tbém. Vc viu que sou teu seguidor??? Abraços.

      Excluir
  2. Nunca fiz nenhum tipo de escova,gostaria de saber se antes de fazer essa orgânica preciso fazer o teste

    ResponderExcluir
  3. Olá! Sempre aconselho a fazer um teste antes.

    ResponderExcluir
  4. posso fazer mechas depois de fazer a esc organica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim é possível fazer mechas, mas sempre é aconselhável fazer teste antes.

      Excluir
  5. quanto tempo dura esssa escosva

    ResponderExcluir
  6. já fiz orgânica gostei mas quero troca, Por qual devo passar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O certo seria fazer um teste de compatibilidade com o Ativo usado anteriormente.

      Excluir